Mapeamento de processos: você sabe o que é?

 Em Marketing

Não é novidade que uma gestão estratégica demanda uma padronização de processos e que eles precisam ter uma boa organização para evitar erros. No artigo de hoje você vai entender porque o mapeamento de processos é tão importante! 

O que é?

Mapear processos nada mais que é entender a fundo o funcionamento de cada etapa dentro de um processo produtivo, visando compreendê-lo e otimizá-lo.

Ao fazer o mapeamento de processos, você tem maior controle de todos os passos do desempenho de sua empresa, e assim você pode otimizar os processos existentes e se julgar necessário, incluir novas estratégias.

Quais são os principais benefícios?

Existem diversas vantagens em aderir ao mapeamento de processos em sua empresa. As principais que podemos apontar são:

  • Excluir tarefas desnecessárias;
  • Entender melhor os processos;
  • Reduzir custos;
  • Agilizar e padronizar processos;
  • Maior controle e monitoramento;
  • Maior satisfação do cliente.

Como fazer em sua empresa?

Para aderir ao mapeamento de processos, você deve seguir algumas etapas:

1ª etapa: determine seus principais objetivos:

Cada processo tem um objetivo específico, que irá colaborar para que a meta final do planejamento seja atingido. Dessa maneira, a primeira etapa do mapeamento de processos é entender qual é a função do processo, denominando um objetivo ao mesmo.

 

2ª etapa: verifique as entregas de cada processo

As entregas no final de cada processo são muito importantes! Elas irão agregar valor de todas as etapas até a entrega do projeto final de sua empresa. Por esse motivo, é bom se atentar em cada uma dela, evitando que mais pra frente ocorram erros que possam comprometer os seus prazos.

 

3ª etapa: identifique os clientes

Depois de concluídas as duas primeiras etapas, é hora de identificar quem são os clientes e sua jornada dentro dos processos. Foque na interações com seus clientes que constituem percepção de valor.

 

4º etapa: modificações nos processos

É hora de analisar quais elementos que foram modificados no decorrer do processo. Eles podem ser dados físicos, ou também informações e dados.

 

5ª etapa: recursos utilizados no processo

Todos os recursos que são utilizados durante o processo, sendo eles energia, maquinário, recursos humanos, metodologias, tecnologias etc.

 

6ª etapa: fornecedores do processo

É hora de identificar todos os responsáveis pelas entradas de cada processo. Existem dois tipos, sendo os internos (pessoas ou grupos dentro da empresa que entregam entradas ou componentes de um processo) e externos (empresas que abastecem a empresa com serviços, matérias primas etc).

 

7ª etapa: limites do processo

São os pontos extremos do processo, quando tem início ou quando terminam. Note que os envolvidos no processo só tem controle sob o mesmo ao receberam a entrada, e perdem esse controle quando são feitas as saídas.

 

8ª etapa: documentação dos processos

Na última etapa, é hora de documentar os processos.
A maneira mais comum é feita por de um fluxograma. Lembre-se que todas a informações sejam documentadas e analisadas por todos os envolvidos.

 

Por hoje vou ficando por aqui!

Deixe sua opinião nos comentários!

Abraços e até a próxima. :)

Fonte: https://blog.runrun.it/mapeamento-de-processos/

 

Artigos recomendados

Deixe um comentário