Mercado de turismo – Você sabe o que está por trás da compra de bilhete e pacotes? | Parte II

 Em Agência de Viagens, Marketing

18_01 II

Semana passada fizemos a primeira resenha para você entender melhor o mercado de turismo, onde você conheceu os principais atores do setor de turismo e na resenha de hoje você vai saber quais são as principais entidades que atuam no mercado de turismo e como elas funcionam.

 

Entidades do setor

 

GDS ou Global Distribution System

São empresas, apenas 3 relevantes na verdade, que possuem um sistema conectado a quase todas as companhias aéreas e hotéis do mundo.

Imagine o mundo a 30, 40 anos atrás quando as redes de computadores mal tinham sido inventadas, quem dirá internet,  no entanto, a aviação comercial já prosperava e as companhias aéreas precisavam vender seus assentos. Imagine a vida do agente de viagens que precisava vender um bilhete a um passageiro de São Paulo para Nova Iorque.

Poderia comprar de qualquer companhia, mas teria que consultar um livro (sim, impresso) de tarifas e provavelmente consultar em algum tipo de terminal de comandos, o sistema de cada uma das companhias aéreas para consultar disponibilidades e reservar um assento.

Desta descentralização de conteúdos surgiram os GDSs, curiosamente de dentro das próprias companhias aéreas.

Naquela época, qualquer sistema de comunicação entre computadores era muito caro. Na verdade, qualquer computador era caro. Logo, a criação dos GDSs deu as companhias aéreas e aos agentes de viagens um canal único de compra e venda de passagens aéreas, centralizando os altos custos e distribuindo os terminais a custos baixos a quem necessitava vender.

Os GDSs ganhavam (e ganham) dinheiro até hoje, da mesma forma: cobrando as companhias aéreas por cada segmento de voo reservado, e não estamos falando de pouco dinheiro.

Os GDSs começaram a perder sua participação de mercado, principalmente quando as companhias aéreas perceberam que podiam utilizar uma “nova” rede de distribuição, uma tal de internet, para vender passagens.

A novela que existe hoje sobre este tema seria um tópico por si só, então, paro por aqui no tema, GDS vs Venda Direta.

A função principal do GDS hoje é conectar a agência aos sistemas das companhias aéreas e hotéis de forma on-line. Apesar de não garantir conectividade a todo o conteúdo que a agência de viagem necessita. O GDS é muito importante para reservas internacionais e para TMCs que tenham contratos com parceiras globais que utilizam o GDS para outros fins.

 

BSP ou Billing and settlement plan

O BSP é para cobrança e pagamentos de passagens o que o GDS é para a consulta e venda de voos.

O BSP funciona como um órgão global para controlar remuneração de comissionamento de agências IATA e o pagamento de companhias aéreas.

ATPCO

A ATPCO é como se fosse um GDS de tarifas.

Mesmo existindo poucos GDSs, para as companhias aéreas é mais interessante publicar suas tarifas de voos em um só lugar, de forma a não ter que gerenciar e manter o cadastro em diversos sistemas.

Os GDSs também oferecem soluções próprias de carregamento de tarifas para as companhias aéreas, em casos específicos pode valer a pena para a companhia aérea.

No entanto, o GDS sempre vai considerar as tarifas da ATPCO e as tarifas do seu banco de dados próprio, abastecido pelas companhias aéreas, para apresentar um resultado de busca por preços.

 

IATA

É a entidade global regulamentadora do turismo e seus diversos órgãos como aeroportos, agências de viagens, cobranças e diversos outros dados e processos do mercado.

Como mencionado em diversos trechos dos textos anteriores, para uma agência ter acesso a credenciais GDSs e linhas de acordos com companhias aéreas internacionais, ela precisa desta certificação.

IATA = International Air Transportation Association e, segundo seu próprio site: A missão da IATA é representar, liderar, e servir a indústria de companhias aéreas e turismo. Regulamenta 93% do mercado de trafego aéreo e aproximadamente 230 companhias aéreas.

Por hoje é isso! No próximo artigo sobre o mercado de turismo você conhecerá os principais cenários de compra e venda de produtos e também uma análise do mercado.

Se você não leu a primeira parte do artigo clique aqui.

Confira aqui a parte III do nosso artigo sobre o mercado de turismo!

Espero que tenha gostado, deixe sua opinião nos comentários.!

Abraços e até a próxima. :)

 

Autor: Ciro Nola
Colaboração: Ana Karoline Sousa

 

Artigos recomendados

Deixe um comentário